EXPEDIENTE      |      ANUNCIE      |      FALE CONOSCO
Busca:  busca
informe-se
Empreendedorismo
Empreendedorismo x Crise
publicado em 04 de setembro de 2015 às 13h16
Compartilhe


A taxa de desemprego subiu no segundo trimestre deste ano e chegou a 8,3%, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É maior taxa da série histórica, que teve início em 2012. No primeiro trimestre deste ano, o índice foi de 7,9%. Já no segundo trimestre de 2014, a taxa foi de 6,8%.

 

No entanto, o que é motivo de preocupação para alguns torna-se uma grande oportunidade para outros. “Tudo vai depender da ótica, do momento de vida e do que a pessoa busca para o futuro”, avalia Ana Vecchi, diretora da consultoria especializada em gestão Vecchi Ancona – Inteligência Estratégica.

 

O Indicador Serasa Experian de Nascimento de Empresas registrou a criação de 990.964 novos empreendimentos no Brasil no primeiro semestre do ano, aumento de 4,9% em relação ao mesmo período de 2014, quando 944.678 novas empresas foram criadas. No mês de junho surgiram 168.445 empresas, aumento de 12,8% em relação ao mesmo mês no ano passado.

 

Segundo a especialista, a máxima “enquanto alguns choram outros vendem lenços”, é mais do que verdadeira. Alguns mercados se valem dos momentos de crise econômica e da alta no desemprego para dar verdadeiros saltos de crescimento. “Isso já aconteceu anteriormente com o franchising, por exemplo, que registrou seu primeiro grande crescimento na década de 1990”, explica.

 

A especialista defende, inclusive, que esta é a melhor maneira de empregar investimentos no caso daqueles que pensam em investir em um negócio próprio a se recolocar no mercado de trabalho. Isso, porque com uma franquia se tem acesso a um modelo de negócio já formatado e consolidado, com processos e gestão comprovadamente eficazes. Diferente de investir em um negócio dos sonhos, do zero, sem ter nenhum background. As chances de perder tudo são infinitamente maiores. “Além disso tudo, ainda há outras questões relacionadas à operação em rede, como a questão da marca mais forte, possibilidade de compra de insumos em conjunto, treinamentos subsidiados pela franqueadora, inovações, ações de marketing, etc”, afirma.

 

Vecchi aponta alguns segmentos de negócios em alta e que podem gerar bons retornos. Entre os destaques estão a alimentação saudável, que desponta já há alguns anos como tendência que veio para ficar especialmente pela preocupação das pessoas com a manutenção da saúde; ainda na linha de saúde e bem-estar, a profissional destaca o setor de clínicas odontológicas e de cuidados com a terceira idade, faixa da população que vem crescendo bastante até pelo aumento da expectativa de vida do brasileiro; franquias de reparo automotivo, especialmente em um momento em que as pessoas deixaram de investir nos veículos novos; entre outros.

 

Confira abaixo algumas redes que seguem em crescimento e que podem ser boa alternativa de investimento para quem sonha com o negócio próprio, mas quer segurança na hora de investir as economias ou o fundo de garantia:

 

- Seletti Culinária Saudável: rede de franquias número 1 em alimentação saudável, conta hoje com 32 unidades em operação em nove estados brasileiros. A meta é crescer 45% até o final de 2015, totalizando cerca de 45 unidades entre abertas e contratadas. Conta com dois modelos de negócios: um convencional, cujos restaurantes operam em praça de alimentação de shopping center com cardápio completo, com mix para realização de refeições principais, como o almoço e o jantar, e itens para o lanche da tarde, além de sobremesas, sucos naturais variados, sanduíches saudáveis, etc. O modelo compacto é ideal para operação em pontos como postos de gasolina, livrarias, supermercados, academias, etc. O mix de produtos é reduzido e atende aquele cliente que está de passagem e quer um lanche rápido e saudável.

 

- ORTOPLAN – Especialidades Odontológicas: considerada a maior rede de franquias de clínicas odontológicas do Mercosul, a ORTOPLAN conta com 47 unidades em operação no Brasil, distribuídas por nove estados, e 6 unidades no Paraguai, totalizando 53 clínicas abertas. A expectativa é chegar a 100 clínicas até o final do ano dentro do Brasil e também em países do Mercosul. Além do Paraguai, outro país que interessa à marca é o Chile. Também oferece dois modelos de negócios. As clínicas Smart, em modelo compacto, e as clínicas Plus, em tamanho convencional, com quatro ou mais consultórios para atendimento em todas as áreas da odontologia, desde crianças até idosos, com tratamentos e tecnologia de ponta, sempre com preços justos, como laserterapia, implantodontia, odontologia estética, estomatologia, apnéia do sono, entre outros.